Foto Bruno Souza

Aprenda a criar seu site com Bruno Souza (Javaman)

Conforme prometido, agora você confere a primeira palestra da Feira do Empreendedor Sebrae 2016!

O palestrante é nada menos que Bruno Souza, uma das maiores autoridades em internet, linguagem Java e Open Source do mundo.

IMG_9510-editado

Mais do que ensinar a montar um site, o Bruno deu um workshop de empreendedorismo e mostrou ferramentas para entender as motivações do seu cliente e entregar algo de valor real para ele. Mostrou exemplos de negócios que deram certo na internet, estimulou os participantes a falarem das suas ideias e apresentou ferramentas poderosas para eles usarem no seu dia a dia.

Abaixo, você confere a palestra transcrita e reorganizada para que você possa ler rapidamente e de forma prática o conteúdo que o JavaMan apresentou na Feira do Empreendedor Sebrae.

A primeira pergunta que você deve fazer é: ‘pra quê um site?’

Muita gente acha que tem que ter um site, por que tem que ter um site…

Então vai até um designer e diz: ‘eu queria fazer um site bonitinho’.

O designer não escreve o texto, não pensa no conteúdo… o negócio dele é fazer o que você pede, ou seja, deixar seu site bonito.

A responsabilidade de pensar no que vender, pra quem vender e como vender, é sua e não do designer.

Se prepare, ele vai te perguntar: ‘pra quê você quer um site?’. Por isso, antes de pensar: ‘como eu faço meu site’; você tem que responder pra si próprio: ‘pra quê quero um site?’

Tem gente que faz muito dinheiro sem ter site na internet. Muitas vezes, essas pessoas têm apenas uma página no Facebook e vendem suas coisas através da lista de contatos. Ou fazem apenas um canal no YouTube e vendem seus produtos por lá. Muita gente vende muito na internet, sem nunca ter feito um site…

ERRO NÚMERO UM: achar que o site é feito para falar dos seus produtos ou de si mesmo

Pessoas acham que site é pra falar de si mesmos, de seus produtos, falar bem dos seus vídeos etc.

É duro dizer e ouvir isso, mas ninguém se importa com você… as pessoas só se importam com o que você pode fazer por elas.

O usuário pensa ‘não quero ficar sabendo quem é você, como você é bonitinho, se seu produto é bacana, como seu preço é mais barato… a única coisa que eu quero no seu site é fazer algo que me ajude. Se eu entro no seu site e não é claro pra mim como você pode me ajudar, eu vou embora’.

A grande pergunta antes de fazer um site é: ‘o que é que meu usuário quer? Por que ele vem ao meu site?’

ERRO NÚMERO DOIS: achar que basta colocar um site na internet que as pessoas vão aparecer

Por exemplo, você vai até um restaurante e lá existe um anúncio para que visite o site do estabelecimento. Não há receitas, não há dicas, não há nada que atraia a sua atenção.

Se você não acessa um site só por que você viu o endereço dele no restaurante, seu usuário também não vai acessar o seu site só por que viu o seu endereço em algum lugar.

As pessoas não acessam um site por que apareceu no Google, no Facebook ou no Twitter, elas só acessam por que o site tem alguma coisa pra elas.

Conteúdo é a coisa mais importante

Há alguns dias, eu estava acessando uma lista com os piores sites do mundo, no ano de 2014. O pior deles era o do Paul Graham. Paul Graham é o criador o Y Combinator, uma das melhores aceleradoras de startup do planeta! E o site dele é absurdamente acessado. Todo mundo acessa!

Quem deseja criar uma startup, tem que visitar o site do Paul Graham. Apesar de ser um site feio, as pessoas visitam POR CAUSA DO CONTEÚDO.

ERRO NÚMERO TRÊS:  fazer um site de navegação misteriosa

As pessoas fazem sites em que o usuário não sabe onde encontrar as coisas. Se seu usuário não sabe achar o que ele precisa, ele vai embora.

O site do Paul Graham, por exemplo, apesar de feio, é navegável, simples. Você encontra o que você precisa.


Para empreender, você precisa passar o tempo todo imaginando ‘como o mundo vai ser melhor com o que eu estou fazendo?’

Ninguém está empreendendo para piorar o mundo. Você sempre acha que vai fazer algo bacana, para melhorar a vida das pessoas ou para melhorar a sua própria vida.

Mas para motivar as pessoas, primeiro você primeiro precisa vender pra elas. Ou seja, apresentar uma ideia de como o mundo vai ser muito melhor por causa do negócio que você está empreendendo.

Primeiro princípio: seu objetivo é ajudar alguém

Se você não for ajudar alguém, ele não vai se interessar por você.

IMG_9549-editado

Segundo princípio: quem é o ‘alguém’ que você ajuda?

Muita gente diz: qualquer um pode comprar meu produto. Errado, ‘qualquer um’ não existe. Você não ajuda um alguém genérico.

Por exemplo, a Coca-Cola e a IBM fazem sites genéricos para qualquer um. Qualquer um compra Coca-Cola. A IBM tem ‘bilhões’ de produtos, por isso qualquer um pode comprar…

Quem tem o budget da Coca-Cola? Quem tem o orçamento de Marketing da IBM?

Você e eu somos pequenos, se tivermos 2 mil pessoas acessando nosso site, estamos felizes… se a IBM e a Coca-Cola tiverem 2 mil pessoas acessando, elas cancelam o site.

Eu ajudo alguém específico

A coisa mais importante para seu site é o público específico que você ajuda.  Se seu site ajudar genericamente, você nunca vai conseguir falar com ninguém.

Por exemplo, se você diz que seu site ajuda universitários, de forma genérica, o público fica muito amplo. Poderia ficar melhor se você disser: ‘eu atinjo universitários da cidade de São Paulo que estão fazendo computação’.

O site fala pra uma pessoa

Quando você acessa um site e está escrito ‘olá pessoal’, você se pergunta: ‘Que pessoal? Eu estou sozinho aqui!’

O ideal é que o site diga: ‘olá Bruno, como foi sua palestra hoje?’, por exemplo.

Outro detalhe importantíssimo: você não pode dizer ‘eu ajudo universidades’, pois universidades não compram nada, empresas não compram nada, clubes não compram nada. QUEM COMPRAM SÃO AS PESSOAS. Quem acessa seu site são pessoas, não são máquinas, não são empresas, não são grupos.


Todo mundo quer SE TORNAR  alguma coisa

Você não vende só um produto, você vende uma transformação. Por exemplo, vende um sapato por que uma mulher quer SE TORNAR maravilhosa. Ou, o homem que tem um sapato velho quer usar um sapato novo, para que seu andar SE TORNE mais confortável.

Você tem que descobrir O QUE seu usuário quer SE TORNAR. É nisso que você deve investir

Se você não sabe o que ele quer, como vai fazer um site para entregar o que ele quer?

IMG_9537-editado

As pessoas querem SE TORNAR para TER algo

Primeira coisa que você precisa fazer é saber o que seu cliente quer, saber o que ele quer se tornar e o que ele quer ter.

Para que ele tenha o quê? Pode ser sucesso no esporte, tranquilidade na vida ou uma educação melhor.

Por exemplo ‘eu quero ME TORNAR popular na escola para TER mais amigos’.

Eu ajudo (alguém) a se tornar (algo) para que tenha (algo)

A gente sempre tem essa dificuldade de apresentar o que a gente faz. Mas você tem que saber exatamente o que faz.

Essa frase simples vai mudar o seu site, a sua participação no Twitter, seu blog e o seu Facebook. Essa mensagem tem que ser seu cartão de visitas.

Por que quando você entender quem você ajuda, vai começar a juntar o conteúdo certo para passar.

É necessário também, que você tenha mensagens diferentes para públicos diferentes.

Se você atende tanto comerciantes quanto pessoas físicas, então faça uma mensagem para cada tipo de pessoa.

Por exemplo, se o seu cliente é um comerciante você o ajuda tornando-o mais competitivo para que ele tenha um número maior de vendas.

Porém, se seu cliente é um consumidor final, você o ajuda tornando-o mais bem vestido, para que ele tenha mais autoestima.

IMG_9545-editado

Cada pessoa tem uma necessidade diferente

Essas são nossas necessidades básicas:

  1. Autorrealização
  2. Autoestima
  3. Sociais
  4. Segurança
  5. Básicas

Enquanto você não tem suas necessidades básicas atendidas, você não consegue ter segurança. Quando tem suas necessidades básicas atendidas, passa a buscar segurança. Então você pode passar a buscar necessidades no nível social. A partir do momento que supre as necessidades do social, você começa a pensar em você mesmo, na sua autoestima. Quando sua autoestima está satisfeita, você passa a pensar no seu futuro, em crescer, ser ‘alguém’, em mudar o mundo…

Os seus produtos podem estar em qualquer categoria da pirâmide, mas ENTENDA qual(is) eles estão, para que você possa apresentar para a pessoa aquilo que vai deixá-la tranquila, satisfazer as suas necessidades.

Pirâmide

Por exemplo, o nível da autorrealização é o nível das pessoas que vieram até à Feira do Empreendedor. Elas têm todas as necessidades básicas garantidas e estão pensando no futuro.

Por isso que a feira está lotada, todo mundo quer se autorrealizar agora: ‘eu quero montar minha empresa, quero mudar minha carreira.’

Esse é o melhor cliente do mundo.


Seu cliente é sua comunidade

Você não vende para seu público. Público é o cara que assiste o show de um grande ator ou um grande músico. O seu cliente não é público. Seu cliente são pessoas, que têm um certo problema, que você é capaz de ajudar.

Se você tratar sua comunidade como pessoas que estão lá para receber ajuda e ajudarem um ao outro, você começa a se tornar uma pessoa absolutamente importante para o seu nicho de trabalho.

IMG_9555-editado

Se as pessoas vão até você pra buscar informação, você se torna uma autoridade naquele mercado

Sabe o que é melhor do que ter uma pessoa que visita seu site por que digitou alguma palavra no Google? É o seu site ser visitado por que as pessoas querem realmente saber o que você está fazendo da sua vida.

Quando as pessoas querem ouvir o que você tem pra falar, quando você diz ‘acesse o site do Paul Graham’, todo mundo vai acessar. Quando você diz ‘compre o curso de universitários’, todo mundo compra. Por que você é autoridade no assunto.

Você pode montar o seu site totalmente baseado em rede sociais

Toda sua interação com seu público pode ser no Facebook, no Twitter, você decide como que você interage.

O importante é que você interaja com a sua comunidade

Não fique só falando. Ouça o que seus usuários têm a dizer. Por isso, participar das redes sociais é fundamental.

Seu site tem que ser um lugar de conteúdo

A principal forma de fazer seu site da maneira correta é pensar como ele pode te ajudar a construir a sua comunidade. Fazer com que as pessoas conversem e falem entre si. Que discutam como melhor usar o seu produto, por exemplo.

Conteúdo pra quem?

Muitas vezes, as pessoas que usam o conteúdo não são clientes do dono do site. Você precisa saber para quem fala, para que o conteúdo seja específico para quem compra o seu produto. Você precisa produzir conteúdo para a pessoa que vai comprar o seu sapato, o seu ar condicionado ou o seu site.

Nós amamos blog, por que blog é conteúdo

Todo mundo quer fazer site. O cara quer aprender WordPress, quer aprender HTML, quer aprender um monte de coisa. Porém, o que faz uma diferença gigantesca na verdade, é o que está escrito. As imagens são bacanas, ajudam, mas se você não souber escrever bem, nada acontece.


Copywriting é o futuro

Se o usuário estiver navegando num site maravilhoso, mas no final das contas, quando ele quer abrir uma informação, está mal escrita e não leva ele a comprar, nada acontece.

Você precisa aprender a escrever. Não escrever qualquer coisa, você precisa aprender Copywriting. Precisa aprender a escrever algo que seu cliente queira comprar.

Como você escreve um e-mail para que seu cliente queira entrar no seu site? Como você escreve um Twit para que ele entre no seu site? Como você escreve um post no Facebook para que o leitor queira entrar no seu site? A resposta é: Copywriting.

IMG_9560-editado

O bom e velho e-mail: os maiores milionários da internet vendem por e-mail

E-mail é uma ferramenta absolutamente fantástica pra você interagir com o público. Sabe por quê? Por que quando você recebe um e-mail, ele é PRA VOCÊ.

Redes sociais você sabe que um monte de gente está lendo, mas quando recebe um e-mail no seu inbox, você sabe que é PRA VOCÊ.

Se o e-mail fala ‘Oi Bruno, como foi sua palestra hoje à tarde?’ É como se fosse um amigo meu falando comigo!

Aprenda a usar e-mail. Se você souber usar, será uma forma fantástica de levar pessoas pro seu site.


Abaixo, você confere a lista dos conteúdos e autores sugeridos pelo Bruno Souza durante a palestra:

  • Ano Novo, Vida Nova – site do Bruno com dicas de empreendedorismo baseadas na experiência dele. A ideia surgiu durante os aprendizados que ele teve na Campus Party
  • Marketing4Nerds – site do brasileiro Serge Rehem, com informações de qualidade, escritas de forma simples, sobre tudo que rola de novo no Marketing Digital
  • Paul Graham – criador o Y Combinator, é autoridade mundial para quem deseja criar uma startup. Apesar do site ser bastante simples, a navegação é boa e o conteúdo é muito requisitado.
  • Simple Programmer – site que ensina a montar um blog de sucesso através de um curso dividido 7 e-mails (em inglês).

Gostou? Tem alguma sugestão? Que falar sobre alguma experiência sua? Deixe seus comentários logo abaixo!

Ou responda nossa enquete!


Ficha Técnica

O quê: Workshop “Aprenda a criar seu site”

Quando: 20/2/16 (Sábado) às 14hs

Onde: Espaço Hackatruck, na Feira do Empreendedor Sebrae 2016. Anhembi. São Paulo – SP

Quem: Bruno Souza (conhecido como JavaMan) fundou algumas das maiores comunidades de desenvolvedores do mundo, é presidente do Instituto Campus Party (que há 8 anos organiza a edição brasileira do maior evento de internet do planeta), Diretor da Open Source Initiative (OSI) e coordenador do Nuvem, projeto do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI/USP).

 

 

 

3 ideias sobre “Aprenda a criar seu site com Bruno Souza (Javaman)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *