Chevrolet investe pesado no mercado de compartilhamento

A GM acaba de criar a marca Maven, para oferecer serviços de compartilhamento de carros. No momento, trata-se basicamente de alugar os carros Volt e Spark, a partir de US$ 6 por hora. Os consumidores já podem contar com 21 estacionamentos espalhados pela cidade universitária de Ann Arbor, em Michigan nos EUA.

cq5dam.web.1280.1280 (2)
Por General Motors © (Creative Commons 3.0)

Por que é uma boa ideia?

Por que está de acordo com uma tendência cada vez mais forte, que é o mercado de compartilhamento. Muitos consumidores desistiram de ter carro próprio (por isso o sucesso de aplicativos como Uber, Lyft e Zipcar). A GM estima que até 2020, 25 milhões de pessoas estarão usando serviços de compartilhamento de carros. Ou seja, as vendas de veículos devem perder força nos próximos anos.

A GM já havia comprado a Sidecar Technologies (apps de compartilhamento e entregas em carros particulares) e investiu pesados US$ 500 milhões em participações na Lyft (concorrente direto do Uber).

Portanto, ao que tudo indica, a empresa saiu na frente de seus concorrentes e já está estudando de perto o comportamento desse público. Prova disso, é que os primeiros clientes do Maven terão acesso direto à chefe do projeto via Whatsapp.

Quem poderia gostar da ideia?

Pessoas que não gostam de dirigir, que não querem ter carros ou que estão de passagem pela cidade, serão beneficiados pelo serviço. Deverá ser muito popular também em cidades em que há poucas vagas de estacionamento ou que tem trânsito caótico. Ambientalistas provavelmente receberão muito bem a ideia também, pois contribuirá para reduzir o número de carros nas ruas (reduzindo a poluição sonora, do ar e os congestionamentos).

cq5dam.web.1280.1280
Por General Motors © Creative Commons 3.0

Inspirando novas ideias…

Já falamos aqui sobre o primeiro condomínio da América Latina baseado em compartilhamento. Já falamos também sobre empresas que têm feito sucesso compartilhando estacionamento, oficina, armários e até chuveiro para ciclistas de São Paulo.

Ou seja, soluções que poupam tempo e facilitam a vida tem grade potencial para atrair consumidores, sobretudo nas metrópoles. Quando as empresas conseguem somar a isso benefícios para o meio ambiente e para a saúde do consumidor então, o sucesso é quase garantido.

Você tem outra sugestão com base nesta ideia? Deixe aqui nos comentários!

Saiba mais em Meio&Mensagem, Valor Econômico, Wired e GM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *